Benefícios da meditação para pacientes com câncer

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Muito tem se falado de meditação ultimamente devido aos seus inúmeros benefícios à saúde. A prática significa “olhar para dentro”, do latim ‘meditare’ – voltar-se para o centro. A prática de meditar tem sido estudada há décadas como grande aliada no tratamento oncológico. Isso porque os adeptos conseguem controlar o estresse e manter maior equilíbrio emocional.

Estudos mostram que mudanças físicas e bioquímicas consistentes começam a surgir no corpo humano após 20 minutos de meditação, e essas alterações podem permanecer por horas. O que acontece exatamente é que o número de batimentos cardíacos começa a cair, a respiração desacelera, o corpo passa a consumir menos oxigênio, os músculos relaxam e a pressão sanguínea diminui. O metabolismo também fica mais lento, modificando as atividades hormonais e as ondas elétricas cerebrais.

Segundo pesquisa do Departamento de Oncologia da Universidade de Calgary, no Canadá, os telômeros (complexos de proteína dos cromossomos) se mostraram maiores em pessoas que praticam meditação. Na amostragem de indivíduos que não exercitam a prática, os telômeros são mais curtos. Mas o que isso significa? Os telômeros menores estão relacionados a diferentes estágios do câncer, como o envelhecimento celular. Já telômeros maiores protegem o corpo contra a doença.

Ainda, é importante salientar que a técnica milenar foi incluída no guideline da Society for Integrative Oncology (SIO), com nota A, podendo ser recomendada para uso cotidiano de pacientes com câncer, contra ansiedade e alterações no humor. Assim, os resultados da meditação vão além do campo mental, impactando significativamente a saúde física.

Dentre os benefícios da prática estão a sensação de serenidade, a melhora considerável da concentração, a redução dos casos de ansiedade e depressão, a ajuda na autoaceitação e o estímulo ao autoconhecimento.

Quer colocar em prática? Veja como:

1. Escolha um lugar silencioso para sentar em uma cadeira com os pés no chão, ou diretamente no chão com as pernas cruzadas e postura ereta. Então, relaxe;

2. Feche os olhos e fique em silêncio;

3. Preste atenção à sua respiração. Faça movimentos conscientes de inspiração, enchendo os pulmões, e de expiração, expandindo o diafragma. Sempre de forma lenta e profunda, até sentir a frequência cardíaca baixar;

4. Pense em um lugar ou paisagem que traga sensação de paz. Mantenha esta imagem fixa pelo tempo que achar necessário, afastando qualquer outro pensamento de distração;

5. Ao sentir o relaxamento profundo do corpo, abra os olhos e aprecie as mudanças internas que a meditação proporcionou a você.

Caso tenha dificuldade de manter a prática sozinho, você pode utilizar um som da natureza, como barulho de folhas ou água, utilizar um aroma no ambiente ou, até mesmo, utilizar uma prática guiada disponível em aplicativos como o Spotify. Uma dica extra interessante é estipular tempos gradativos de meditação, começando com 5 minutos e evoluindo até 30, uma ou duas vezes ao dia, sempre nos mesmos horários. O resultado são hábitos mais saudáveis na vida como um todo e a sensação de bem-estar constante!

Mais para explorar

Assine nossa newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade