Câncer de pele: o que você precisa saber sobre a doença

cancer de pele

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Conhecer os sinais e sintomas do câncer de pele é fundamental para identificar quando é a hora de procurar um médico.

Hoje, vou falar sobre o que caracteriza esse tipo de câncer que corresponde a um terço dos diagnósticos da doença no Brasil. Todos os anos, o Instituto Nacional do Câncer – INCA registra 180 mil novos casos de câncer de pele.

Apesar do seu tipo mais comum, que é o câncer de pele não melanoma, apresentar baixa mortalidade, a quantidade de casos assusta. Em 20% dos diagnósticos o câncer acaba se espalhando pelo corpo, afetando outros órgãos.

Para reverter esse quadro, é fundamental que todos tenham capacidade de prevenir, identificar e buscar tratamento para o câncer de pele.

O que é câncer de pele?

A pele é responsável por revestir o corpo humano e conta com milhares de células de diferentes tipos e funções. O câncer de pele ocorre quando essas células passam por uma mutação em seu DNA e crescem sem controle, de forma anormal.

A principal responsável por essas alterações no DNA é a radiação ultravioleta. Por isso, a incidência dessa doença tem origem na exposição solar sem proteção. Quanto menos a pessoa se protege, mais ela corre o risco de ter a doença, já que na maior parte das vezes o câncer de pele é resultado da exposição de anos.

O diagnóstico da doença em jovens adultos é algo vindo como uma consequência da exposição solar intensa e sem proteção durante os primeiros anos de vida. Em média, 80% da radiação ultravioleta acumulada em nosso corpo é processada até os 20 anos de idade. Essa radiação, aos poucos e gradualmente, modifica o interior das células e afeta a reprodução delas.

A recomendação preventiva geral é que todos usem o protetor solar diariamente e evitem a exposição nos horários de radiação intensa, entre as 10 e as 16 horas (ou entre as 9 e as 15 horas durante o horário de verão).

Além de pegar sol sem proteção, há fatores genéticos envolvidos no desenvolvimento do câncer de pele. Por isso, se alguém da sua família já sofreu com o problema, atenção redobrada! Realize exames periódicos para prevenir ou tratar a doença a tempo.

Outros fatores de risco são: pele clara, pele com sardas, olhos claros, baixa imunidade, histórico de já ter passado por um câncer.

Veja também: Conheça os cuidados durante o tratamento do câncer no verão

Sintomas e tipos de câncer de pele

Os sinais da doença variam de acordo com seu tipo. São eles:

Carcinoma basocelular – É o tipo mais comum da manifestação da doença, responsável por 70% dos casos. Tem esse nome devido à sua constituição por células basais, comuns da pele. Apesar da multiplicação de células desordenada, dificilmente o carcinoma invade outros tecidos corporais pois cresce muito lentamente. Costuma aparecer em áreas como nariz, canto dos olhos, pescoço e no rosto em geral. Aparecem como uma ferida que não cicatriza, em cores branca, rosa, bege ou marrom, e sangra com facilidade.

Carcinoma espinocular – Essa variação da doença costuma ocorrer no couro cabeludo, no pescoço e no dorso das mãos. Também pode se manifestar nas membranas mucosas e genitais. Apresenta-se como uma mancha ou nódulo que mostra efeitos da exposição solar na pele, tem cor avermelhada, aspecto endurecido com descamação, cresce em poucos meses e não cicatriza.

Melanoma – Pode atingir pele, olhos, orelhas, trato gastrointestinal, membranas mucosas e genitais. Fique atento ao aparecimento ou à mudança de manchas ou pintas. Podem ser de aparência incomum e incluir coceira, vermelhidão, sangramento e não cicatrização.

Conhecer os sintomas do câncer de pele é o primeiro passo para identificar. A prevenção salva vidas!

Até a próxima!

Dra. Alessandra Morelle

Mais para explorar

Assine nossa newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade