Conheça os tipos de câncer mais incidentes nos brasileiros hoje

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Estudos do Inca (Instituto Nacional do Câncer) revelam os tipos de câncer mais frequentes entre homens e mulheres no ano de 2020. O Câncer de Mama é o mais recorrente entre todos as categorias e afeta, de forma quase totalitária, pessoas do sexo feminino. Em segundo lugar está o Câncer de Próstata, que também incide apenas em um gênero, neste caso, o masculino. Em terceiro, aparece o Câncer de Cólon e Reto, que somados os casos entre homens e mulheres chega a 41.010. Veja o que os dados mostram:

Mulheres
1º) Mama – 66.280 casos;
2º) Cólon e Reto – 20.470 casos;
3º) Colo de Útero – 16.710 casos;
4º) Traqueia, Brônquio e Pulmão – 12.440 casos;
5º) Glândula Tireoide – 11.950 casos.
Homens
1º) Próstata – 65.840 casos;
2º) Cólon e Reto – 20.540 casos;
3º) Traqueia, Brônquio e Pulmão – 17.760 casos;
4º) Estômago – 13.360 casos;
5º) Cavidade Oral – 11.200 casos.

Os cuidados para a prevenção de cada tipo de câncer muitas vezes são semelhantes, incluindo boa alimentação, prática de atividade física, equilíbrio mental e emocional. No entanto, as características de cada doença são bastante diferentes. Por isso, elencamos os quatro tipos mais incidentes (na soma total de casos), ranqueados acima, e detalhamos um a um para que você os conheça mais a fundo.

Câncer de Mama
Nos últimos anos, os índices de mortalidade para esta doença caíram cerca de 40%, sendo o diagnóstico precoce essencial para o sucesso dos casos de cura. O Câncer de Mama é menos frequente em pessoas abaixo de 35 anos e a incidência cresce em mulheres com mais de 50. Tem origem em alterações genéticas, que podem ser estimuladas por fatores ambientais como: tabagismo, uso de hormônios (TRH – terapia de reposição hormonal por tempo prolongado), obesidade, fumo e alcoolismo. Também é mais recorrente em mulheres que menstruaram muito cedo ou que chegaram tarde na menopausa. Este câncer se apresenta, de forma geral, em duas maneiras: Carcinoma in situ (câncer de mama em fase inicial, sem capacidade de desenvolver metástases) e Carcinoma invasor (mais frequente e com possibilidade de desenvolver metástases).

Câncer de Próstata
Este tipo ocorre na glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis, responsável pela produção do sêmen. Se detectado precocemente, tem até 90% de chance de cura. Dentre os sintomas na fase inicial do Câncer de Próstata estão a dificuldade de urinar ou urinar mais vezes ao dia, já na fase mais avançada pode ocorrer dor óssea, infecção ou insuficiência renal. Para os fatores de risco, o principal é o antecedente familiar. Quando pai ou irmão já tiveram, as chances dobram e se a ocorrência for em ambos, o risco fica cinco vezes maior. Por isso, a importância de exames periódicos.

Cólon e Reto
Conhecido também como Câncer Colorretal e Câncer de Intestino Grosso, este tipo apresenta sintomas como a mudança do hábito intestinal (constipação ou diarreia), anemia, fraqueza, cólica abdominal, emagrecimento, sangramento pelo reto e sensação de evacuação incompleta. O diagnóstico pode ser feito a partir de uma Colonoscopia (realizada por meio de uma câmera de vídeo que permite a execução de biópsia), de uma Colonoscopia Virtual (mesmo preparo, mas menos invasiva e com reprodução de imagens tridimensionais), de um Exame de sangue oculto nas fezes (identifica partículas de sangue oculto) e de Toque retal (feito em consultório pelo médico especialista). Os fatores de risco mais comuns são histórico familiar, má alimentação, diabetes tipo 2, tabagismo e sedentarismo.

Traqueia, Brônquio e Pulmão
Juntos, formam o grupo de tumores malignos mais frequente do mundo, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde). Cada um possui tipos específicos. No Pulmão são o Câncer de células não-pequenas (mais comuns e constituídas por carcinomas de células escamosas, adenocarcinomas e carcinomas de grandes células) e o Câncer de pequenas células (mais raro e agressivo). Na traqueia, mesmo com menos ocorrências, podem ser benignos ou malignos, primários ou secundários. Entre os primários, os mais diagnosticados são o carcinoma mucoepidermóide e o carcinoma de células escamosas; já os secundários são metástases ou invasão direta de tumores próximos à traqueia, como pulmão e esôfago. Não existem sintomas específicos para eles, já que se confundem com outras doenças respiratórias, a maioria relacionadas ao uso de tabaco.

Entender a fundo uma doença é o primeiro passo para um tratamento seguro e eficaz. Pesquise, informe-se e busque sempre a opinião de um médico especialista. O conhecimento salva vidas!

Mais para explorar

Assine nossa newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade