Veja como novas tecnologias propiciam resultados mais positivos no tratamento de câncer

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Nos últimos anos, a tecnologia tem contribuído de forma consistente e positiva para a medicina. Um dos casos mais emblemáticos nessa área está vinculado ao tratamento contra o câncer. Com o implemento dessa ferramenta, passou a ser possível permitir um suporte diferenciado ao sistema imunológico do paciente na identificação e ataque dos tumores, construindo novos caminhos inovadores e eficazes para a cura.

Como o câncer é causado devido às mutações genéticas que transformam as células saudáveis em células de tumor, essas mudanças são o alvo principal dos cientistas. Um grande obstáculo que acaba surgindo é que cada tumor é individual. Sendo assim, cada paciente precisará de um produto personalizado exclusivamente para o seu caso.

Veja asformas de tratamento que são indicadas por especialistas e outras que ainda estão em fase de estudo, mas prometem mudar o caminho para a cura de pacientes:

Imunoterapia e a radioterapia de alta precisão

Entre as técnicas que têm se destacado no Brasil estão a imunoterapia e a radioterapia de alta precisão. A imunoterapia funciona aumentando a atividade do sistema imune do paciente para combater o câncer. Esse tipo de terapia funciona à base de medicamentos intravenosos, chamados Anticorpos Monoclonais, e tem alcançado resultados sem precedentes na história da oncologia. Com a tecnologia disponível é possível, por meio de alterações genéticas das células de defesa, manejar o sistema imune, fazendo com que ele atue combatendo o câncer de maneira individual e personalizada. 

O médico do serviço de Oncologia do Hospital Moinhos de Vento de Porto Alegre, Pedro Isaacsson, explica que a radioterapia ‘explode’ a célula tumoral, lançando na circulação uma infinidade de partículas mortas do câncer, que servem de estímulo ao sistema imune. “Após essa sensibilização inicial do sistema imune, a imunoterapia potencializa o organismo do paciente e faz com que de fato ataque o resquício de todas as células tumorais ainda viáveis”.

Vacinas que auxiliam o sistema imunológico

Hoje, os cientistas já são capazes de comparar variadas mutações de câncer traçando paralelos comparativos de sequências de DNA, tanto de células saudáveis como de tumores, selecionando as que são mais prováveis a provocar uma intensa reação do sistema imunológico. Assim, a aplicação de vacinas que guiam o sistema imunológico e fazem com que um tumor seja atacado. Este tipo de tratamento, no entanto, pode não ser útil para alguns tipos de mutação, como câncer de ovário ou próstata, sendo mais indicado para câncer de pulmão ou intestino, segundo a BioNTech, empresa desenvolvedora.

CAR-T ataca células cancerígenas, preservando tecidos saudáveis

Um novo método desenvolvido recentemente para a terapia de células no tratamento contra o câncer, chamado CAR-T, coleta células T (linfócitos) do sistema imunológico para transformar as células do câncer em alvos. O objetivo é acabar com a doença células cancerígenas sem prejudicar tecidos saudáveis, focando na qualidade de vida do paciente. Em tratamentos recentes, os ensaios clínicos do CAR-T mostram resultados impressionantes em pacientes que já não viam saída, mas também já mostraram efeitos colaterais severos. Por enquanto, o CAR-T só pode ser usada no tratamento de algumas formas raras de câncer no sangue, com cientistas descobrindo maneiras de alcançar pacientes com outras vertentes da doença.

Contando com a ajuda de microbiomas

Outra solução encontrada pelos cientistas é usar os microorganismos que já existem no corpo humano para o tratamento do câncer. Médicos explicam que as células de tumor são invisíveis para o sistema imunológico, mas que com os microbionas eles podem se tornar visíveis e, assim, ser atacadas. Ainda em fase de projeto, esta terapia ainda não chegou no mercado e está demonstrando sucesso nos estudos pré-clínicos.

Felizmente, o cenário da medicina moderna mostra que a tecnologia vem atuando com muito mais intensidade, desenvolvendo formas de tratamento, prevenção e, o mais difícil, a cura. Extinguir de vez a doença no organismo humano é um grande desafio que está sendo enfrentado com o apoio fundamental da ciência tecnológica.

Mais para explorar

Assine nossa newsletter

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Saiba mais no nosso termos de uso política de privacidade